Personalidades negras e não negras que militam em prol da igualdade racial por meio de ações afirmativas ou cuja biografia é exemplo de sucesso dentro dessa perspectiva, se reúnem na noite de 19 de novembro na Sala São Paulo para prestigiar o Oscar da Comunidade Negra.

A cerimônia de entrega da estatueta de Zumbi dos Palmares deste ano será apresentada pela atriz Kenia Maria e pelo rapper Thaíde.

A carioca Kenia  Maria, escritora e defensora da ONU Mulheres, foi eleita recentemente como uma das 100 pessoas negras mais influentes do mundo, pela iniciativa Most Influential People of African Descent. A também atriz, Kenia, trabalha como defensora no comitê ONU Mulheres Negras, fez parte do time de mobilizadores do “Criança Esperança 2018” e lançou recentemente o  livro “Flechinha, O Príncipe da Floresta”. A obra tem como objetivo chamar a atenção para a lei 10.639/03, que tornou obrigatório o ensino da história e cultura afro-brasileira e africana em todas as escolas. A legislação, no entanto, ainda não é cumprida.

Thaíde é um dos maiores MCs brasileiros. Além de estar entre os principais nomes do rap nacional, Thaíde é compositor, produtor, ator, apresentador e repórter televisivo brasileiro. Ao lado de Dj Hum, o rapper está presente no primeiro registro do rap nacional – a coletânea Hip-Hop Cultura De Rua, de 1988.

O rapper fez sua estréia como apresentador no comando de Manos e Minas, um programa que acompanha a produção atual da música negra e urbana em suas várias vertentes (rap, funk, funk carioca, soul, reggae, samba), nele também são abordadas iniciativas e realizações da cultura de rua e do hip hop em seus diversos segmentos. O programa é considerado um dos principais porta-vozes do hip-hop e rap no Brasil, e um dos pioneiros desses gêneros na televisão brasileira.